A sexualidade é um aspeto central da vida humana do nascimento à finitude. Promotora de bem-estar influencia a nossa qualidade de vida contribuindo para a nossa saúde e felicidade. Mitos e tabus condicionam, desde sempre, a expressão da sexualidade, mas no processo de dependência insurgem-se desafios que importa conhecer e ultrapassar. Indo ao encontro dos Direitos Sexuais devemos ter a escolha e liberdade para viver a nossa intimidade sem barreiras, mas a dependência e perda de privacidade dificultam a continuidade de uma sexualidade ativa e gratificante. A institucionalização é um processo importante na prestação de cuidados, mas é apontada como uma barreira à intimidade tornando-se muitas vezes num espaço onde muitos direitos não são respeitados. Porque somos seres sexuados e o desejo não cessa com as limitações motoras, cognitivas ou com a idade, importa explorar os desafios da intimidade num espaço formal como são exemplo as diferentes instituições capacitando os profissionais para esta realidade.

Funcionários de entidades públicas e privadas – IPSS, ONG, Misericórdias nas áreas Saúde, Educação, Ação Social e outras.

Capacitar os profissionais/técnicos para a expressão da sexualidade em contexto institucional.

  • Sensibilizar e capacitar os profissionais para o tema da sexualidade
  • Organizar boas práticas de valorização da diversidade em sexualidade em contexto institucional
  • Discutir casos práticos

7 horas |  9h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h00

O curso terá um custo de 50 euros.  No caso de associados ou protocolados da ANGES aplica-se um desconto de 10%.

Metodologias ativas e participativas. Pequeno exercício, de modo a avaliar a aquisição das competências.

Cada aluno receberá, em suporte digital, os materiais utilizados como suporte à formação.

  • Conceito de sexualidade, sexo e género;
  • Mitos existentes na sexualidade;
  • Aspetos da fisiologia e da resposta sexual e principais mudanças;
  • Estratégias para melhorar a intimidade;
  • Direitos e implicações éticas da vivência da sexualidade em meio institucional;
  • Barreiras à expressão da sexualidade durante a institucionalização;
  • Influência das demências na sexualidade;
  • Diversidade em sexualidade: boas práticas em contexto institucional.

DOCUMENTOS PARA A MATRÍCULA

  • CV atualizado;
  • Foto de rosto tipo passe;
  • Cópia do Certificado de Habilitações;

FORMADORES

VÂNIA BELIZ
VÂNIA BELIZ
.

FORMULÁRIO DE MATRÍCULA